O que é síndrome do ovário policístico?


Sinônimos: Síndrome de Stein-Leventhal, doença polifolicular ovariana



A síndrome de ovário policístico (SOP) é uma doença na qual há um desequilíbrio nos hormônios sexuais femininos. Esse desequilíbrio hormonal pode causar alterações no ciclo menstrual, alterações na pele, pequenos cistos nos ovários, dificuldade para engravidar e outros problemas.

Causas

Os hormônios sexuais femininos incluem estrogênio e progesterona, assim como hormônios chamados andrógenos. Os andrógenos, frequentemente chamados "hormônios masculinos", também estão presentes em mulheres, mas em quantidades diferentes.
Os hormônios ajudam a regular o desenvolvimento normal de óvulos nos ovários durante cada ciclo menstrual. A síndrome de ovário policístico está relacionada a um desequilíbrio nesses hormônios sexuais femininos. Um excesso de hormônio andrógeno é produzido, junto com alterações em outros níveis hormonais.
Não está completamente claro por que ou como ocorrem as alterações nos níveis hormonais.
Os folículos são bolsas dentro dos ovários que contêm óvulos. Normalmente, um ou mais óvulos são liberados durante cada ciclo menstrual. Isso é chamado de ovulação. Na síndrome de ovário policístico, os óvulos nesses folículos não amadurecem nem são liberados dos ovários. Em vez disso, eles podem formar cistos muito pequenos no ovário.
Essas alterações podem contribuir para a infertilidade. Os outros sintomas deste distúrbio ocorrem devido aos desequilíbrios hormonais.
As mulheres geralmente são diagnosticadas quanto têm entre 20 ou 30 anos, mas a síndrome de ovário policístico também pode afetar adolescentes. Os sintomas frequentemente surgem quando começam os períodos menstruais de uma menina. As mulheres com este distúrbio frequentemente têm uma mãe ou irmã que têm sintomas semelhantes àqueles da síndrome de ovário policístico.

Exames

Em um exame pélvico, o médico pode observar o clitóris dilatado (muito raramente) e ovários dilatados.
Diabetes, pressão arterial alta e colesterol alto são descobertas comuns, assim como ganho de peso e obesidade.
Peso, índice de massa corporal (IMC) e circunferência abdominal são úteis na determinação dos fatores de risco.
Níveis de hormônios diferentes que podem ser examinados incluem:
  • Níveis de estrogênio
  • Níveis de hormônio folículo estimulante (FSH)
  • Níveis de hormônio luteinizante (LH)
  • Níveis de hormônio masculino (testosterona)
  • 17-cetosteroides
Outros exames de sangue que podem ser realizados incluem:
  • Glicose em jejum e outros exames de intolerância à glicose e resistência à insulina
  • Níveis de lipídios
  • Teste de gravidez (HCG)
  • Níveis de prolactina
  • Testes de funcionamento da tireoide
Outros testes possíveis:
  • Ecografia vaginal para observação dos ovários
  • Laparoscopia pélvica para observação mais detalhada e possivelmente biópsia dos ovários

Sintomas 

Alterações no ciclo menstrual:
  • Falhas na menstruação, geralmente com um histórico de se ter um ou mais períodos menstruais normais durante a puberdade (amenorreia secundária)
  • Períodos menstruais irregulares que podem ser mais ou menos frequentes, variando de muito leves a muito intensos
Desenvolvimento de características sexuais masculinas (virilização):
  • Tamanho reduzido das mamas
  • Aprofundamento do timbre da voz
  • Hipertrofia do clitóris
  • Aumento de pelos no peito, abdome e face, assim como ao redor dos mamilos (chamado hirsutismo)
  • Rareamento dos cabelos, chamado calvície de padrão masculino
Outras alterações na pele:
  • Acnes que pioram
  • Marcas escuras ou grossas na pele e dobras ao redor das axilas, nas virilhas, no pescoço e nas mamas devido à sensibilidade à insulina

Tratamento 

Foi demonstrado que perder peso (o que pode ser difícil) ajuda com a diabetes, a pressão arterial alta e o colesterol alto. Mesmo uma perda de peso de 5% do peso corporal total mostrou ajudar com o desequilíbrio hormonal e também a infertilidade.
Medicamentos usados para tratar dos hormônios e ciclos menstruais anormais decorrentes da síndrome de ovário policístico incluem:
  • Pílulas anticoncepcionais ou comprimidos de progesterona, para ajudar os ciclos menstruais a se tornarem mais regulares
  • Metformina, um medicamento que aumenta a sensibilidade do corpo à insulina, pode melhorar os sintomas da síndrome de ovário policístico e às vezes fará com que os ciclos menstruais sejam normalizados. Para algumas mulheres, ele também pode ajudar com a perda de peso.
  • Análogos do hormônio liberador do hormônio luteinizante (LHRH)
O tratamento com citrato de clomifeno faz com que o óvulo amadureça e seja liberado. Algumas vezes as mulheres precisam dele ou de outras medicamentos para fertilidade a fim de engravidarem.
Medicamentos ou outros tratamentos para crescimento anormal de cabelo incluem:
  • Pílulas anticoncepcionais. Pode levar vários meses para se começar a notar alguma diferença.
  • Medicamentos antiandrógenos, como espironolactona e flutamida podem ser tentados se as pílulas anticoncepcionais não funcionarem.
  • O creme de eflornitina pode retardar o crescimento de pelos faciais indesejados em mulheres.
  • A remoção de pelos usando fontes de luz laser ou não laser danifica os folículos de pelos individuais de maneira que eles não crescem novamente. Isso pode ser caro, e são necessários vários tratamentos. A remoção a laser pode ser combinada com outros medicamentos e hormônios.
Glucofage (Metformina), um medicamento que torna as células mais sensíveis à insulina, pode ajudar a regular a ovulação e os ciclos menstruais, prevenir a diabetes tipo 2 e contribuir para a perda de peso quando uma dieta for seguida.
A laparoscopia pélvica para remover uma seção do ovário ou fazer orifícios nos ovários é algumas vezes feita para tratar da ausência de ovulação (anovulação) e da infertilidade. Os efeitos são temporários.
Fonte: http://www.minhavida.com.br/saude/temas/sindrome-do-ovario-policistico#.USlMH6WR9Fs
A Reflexologia é uma boa aliada ao tratamento trazendo grande benefícios e alívio aos sintomas. Ela também melhora a circulação e traz equilibro físico e emocional. A reflexologia também ajuda os órgãos a entrarem em sintonia e a trabalharem em conjunto. 
A técnica baseia-se em massagens terapêutica com as mãos, pressionando cada um dos muitos pontos encontrados no pé e listados em um mapa. A reflexologia plantar alivia dores de cabeça, de coluna, diminui sintomas femininos  e ajuda no tratamento da depressão. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário